Liga Nacional de Futsal utiliza quadra itinerante com piso em polipropileno para diminuir lesões

A tecnologia está contribuindo para a diminuição no número de lesões de atletas nas quadras esportivas. Um material em polipropileno é agora o padrão para os pisos das quadras esportivas, pelo menos para as equipes que participam da Liga Nacional de Futsal.

Além da capacidade muscular e das técnicas de movimento, a escolha dos materiais e da superfície de treinamento são fatores fundamentais para o aumento da performance e para a prevenção de lesões. Pisos duros, como encontramos nas quadras, não absorvem o impacto.

O médico especialista em ortopedia e traumatologia, Marcelo Beirão, que também é médico do Criciúma Esporte Clube e tem longa experiência em medicina esportiva, aponta que praticar esportes em pisos com maior absorção de impactos pode ajudar a evitar lesões.

“Em superfícies mais duras a força de resposta transmitida ao corpo é maior. Em longo prazo, pode ocasionar muita dor aos atletas. E se isso já acontece com atletas profissionais, que se preparam fisicamente, imagina para quem pratica esporadicamente. Pisos duros podem, inclusive, atrapalhar no desenvolvimento. Crianças e adolescentes que fazem esportes constantemente nesse tipo de quadra correm o risco de sofrer lesões nas placas de crescimento”, ressalta.

De acordo com Beirão, o alto impacto com o piso gera, inclusive, problemas inflamatórios. “Pode ocorrer entorses e tendinopatias, que são doenças nos tendões. Em esportes como vôlei e basquete, por exemplo, em que o atleta precisa saltar, o impacto é ainda maior nos joelhos e quanto mais duro for piso, pior”, comenta.

A força de aterrissagem no concreto, que pode ser cerca de três a quatro vezes o peso do corpo, afeta muito mais as articulações que uma superfície macia. Por isso, especialistas recomendam observar a flexibilidade do piso, pois absorve os impactos sobre os membros inferiores.

Mais segurança na profissão

Com quem é atleta profissional, o cuidado deve ser intensificado, já que uma lesão pode afastar das competições. Para o jogador Mithyuê, ala da equipe do Krona, que disputa a Liga Nacional de Futsal, o piso modular em polipropileno utilizado na competição deste ano é melhor para a saúde dos jogadores.

“Aquelas quadras de cimento ou mesmo as de madeira não têm boa absorção, o que prejudica a saúde do atleta. Cuidar da saúde, no nosso caso, é essencial, já que jogar é nossa profissão e precisamos estar bem para realizá-la da melhor forma. Os pisos modulares são feitos de polipropileno copolimerizado e absorvem muito e evitam lesões nas articulações, além de serem mais confortáveis na hora do jogo”, afirma o ala, que já serviu à seleção brasileira de futsal.

Pensando na escolha correta do piso para a prática esportiva, a Liga Nacional adotou um padrão neste ano e em grande parte dos jogos o piso utilizado é o modular, a absorção de impacto é realmente um dos diferenciais desse material, que ajuda a preservar a saúde de quem se exercitar sobre ele.

“Em virtude da tecnologia construtiva de cada módulo, os níveis de absorção e amortecimento de impactos são excepcionais, preservando a saúde tanto dos atletas profissionais, quanto dos esportistas de fim de semana. Ele é ideal para várias modalidades e situações”, explica Souza.